[E] - Um Segredo que irá adicionar poder a cada palavra que você escreve

9.11.16

By Jerry Jenkins | traduzido por Leandro Zapata
A maioria dos especialistas dirá que você deve escrever para um único publico alvo. Eu vou dar um passo a frente e dizer que você deve escrever para uma única pessoa por vez.
Ter em mente a pessoa para quem você está escrevendo irá dizer o tom e determinar o sucesso de seu artigo, livro ou romance.
Leitores são egocêntricos. Eu não estou fazendo calunias. Essa é a natureza humana. Eu sei disso sobre mim mesmo. Quanto estou lendo, quero saber o que o escritor está falando para mim. Como isso se aplica a mim? Não aos homens em geral ou avôs ou senhores ou pais ou maridos. Mim.
Isso parece egoísta? Desculpe. Mas essa é a verdade, e sei que é verdade sobre meus leitores também, ou devo dizer leitor, já que eu me dedico a escrever apenas a uma pessoa por vez: você.
É por isso que você nunca vai me ver escrevendo coisas como: “Muitos de vocês...”, “Mas galera...”, ou “Senhoras e senhores...”
Não, prefiro dizer, eu estou escrevendo apenas para você.
Mas pode haver muitos lendo isso que podem ser endereçados como “você”, mas isso é relevante a mim, não a você. Então, ao invés de escrever, “Alguns de vocês são pais...”, eu escreveria “Você pode ser um pai...”, por que não estou escrevendo para ninguém mais, a não ser você.
Então lembre-se:
1. Imagine seu leitor. Saiba de onde sua audiência esta vindo, imagine alguém que você conhece que representa sua audiência, e escreva apenas para essa pessoa.
Por exemplo, quando eu escrevo uma coluna para uma revista destinada a mulheres da idade da minha mãe e quem compartilha os mesmos valores, eu me imagino escrevendo para ela, mesmo que ela esteja no céu a muito tempo. Quando eu escrevo biografias de esportistas, eu escrevo para pessoas como eu: com um pouco de conhecimento e um fã de carteirinha. Então, eu me imagino escrevendo para mim mesmo, escrevo algo que eu gostaria de ler. Quando eu estou escrevendo sobre temas espirituais para o publico geral, eu devo considerar isso também. Isso não significa que estarei sendo condescendente ou julgando. Significa que eu imagino um amigo ou amado que eu respeito e admiro, mas quem descorda de mim em assuntos do tipo.
2. Seja honesto. Quando eu me vejo em um assunto sensível e que já foi sujeito a criticismos, ceticismos ou, até mesmo, que foram ridicularizados; é vital que eu deixe claro que eu sei disso. Eu posso até mesmo escrever: “Eu não sou idiota; eu sei como isso soa. Mas escute-me primeiro”.
3. Lembre-se a si mesmo, se necessário. É fácil estereotipar alguns grupos, especialmente quando você pensa neles em conjunto. É por isso que é tão crucial pensar como um indivíduo. Resistir a tentação lembrando-se a si mesmo: espere, isso não é “algumas pessoas”. Eu estou escrevendo pro Tom. Isso irá muda seu jeito de escrever, te trará mais poder, paixão e claridade a cada palavra.
Me diga se você achou esse artigo útil e porque, ou porque não.
Fonte: http://www.jerryjenkins.com/to-whom-are-you-writing-2/

You Might Also Like

0 comments

Página Um Beijo