[R] - O Jogo do Anjo

17.2.17


Escrito por Carlos Ruiz Zafón, O Jogo do Anjo foi minha introdução à literatura espanhola. E foi uma das melhores coisas que já aconteceram na minha vida como leitor. Apesar de ser um grande best-seller e estar no Brasil há vários anos, para mim, é difícil encontrar pessoas que de fato leram as obras desse autor.
Sendo parte de quatro livros interligados, mas que, ao mesmo tempo, são independentes uns dos outros. Alguns personagens e lugares são recorrentes, todavia, você não precisa ler o primeiro para entender o segundo; eu mesmo li apenas dois. Dos dois livros que li, meu lugar favorito é o Cemitério dos Livros Esquecidos, do qual não falarei muito aqui, pois quero focar neste único livro.
Ambientado na gótica Barcelona dos anos 20 – um dos lugares que mais quero visitar no mundo – a história centra-se em David Martin, um jovem escritor de carreira promissora. Após fazer grande sucesso com livros publicados sob pseudônimos, ele recebe uma proposta de um editor francês para escrever um grandioso livro que lhe renderá uma fortuna.
Como todo autor que espera prestigio e fortuna com seus livros, David aceita a proposta, apenas para descobrir mistérios sobre mistérios, principalmente em relação ao misterioso editor.


O livro carrega um suspense indescritível. Desde a primeira página o leitor fica preso, sempre tentando imaginar o que virá depois. Cada palavra parece ter sido estrategicamente escolhida para nos vidrar e nos sentir acolhidos em suas curvas.
Dividido em três atos, acompanhamos David se transformando. No primeiro, conhecemos a personagem principal e seus companheiros. Aprendemos um pouco sobre sua carreira de escritor e seu romance com Cristina. Aqui também vemos o espírito do livro e como a trama acontecerá; coisas ruins acontecem com ele e temos certeza que sua jornada não será nem um pouco fácil.
No segundo, David está mais crescido. Sua ingenuidade dando lugar à ironia. Vemos suas espertas sacadas e críticas em meio a sua vida reclusa em sua mansão. É quando conhecemos, Andreas Corelli, o editor francês, e sua proposta é feita. Sem contar que conhecemos Isabella, a autoproclamada assistente de David; se eu tivesse uma personagem favorita, ela seria a tal.
Sendo o maior dos atos, o segundo é dominado pela tensão. O psicológico de David está cada vez mais confuso, enquanto ele tenta desvendar os mistérios do livro que está escrevendo. Se você tem pressão alta, tome cuidado com esse ato; alto risco de ataque cardíaco!
O último ato é o mais sombrio de toda a trama. Há suspense em cada fala. É impossível tirar os olhos dos parágrafos, que parecem consumir suas entranhas. Se você for suscetível a lágrimas, você irá encharcar o livro – acredite, coisas assim acontecem.
O Jogo do Anjo é uma obra-prima. Um verdadeiro divisor de águas. Ao lê-lo, você verá Barcelona como o lugar mais bonito do mundo! Eu fiquei com tanta vontade de ir para lá, que cheguei a suar – uma vez, eu até mesmo procurei sobre o Cemitério dos Livros Esquecidos para saber se era uma mitologia real ou se Carlos tinha criado; queria usá-lo em algum de meus livros.
Já leu O Jogo do Anjo? Se sim, o que achou? Se não, o que tá esperando?

You Might Also Like

0 comments

Página Um Beijo