[R] – Os Senhores dos Dinossauros

17.3.17

Em janeiro desse ano – bem no comecinho mesmo, tipo dia 3 ou 4 – eu acabei de ler Ahsoka, de E.K. Johnston, eu decidi que iria pular a ordem dos livros que eu tenho para ler e ir direto para Os Senhores dos Dinossauros. Ingênuo eu, achando que acabaria na minha última semana de férias. Terminei apenas na semana passada – graças ao meu emprego e a faculdade que eu resolvi começar.




Por isso, tenho certeza que minha leitura e apreciação do livro foi muito menor do que seria se eu tivesse lido, vejamos, em 2010, quando eu trabalhava em Pinheiros – na capital de São Paulo – e ficava quatro horas no maravilhoso transporte público; duas indo, duas vindo. Nessa época eu seria capaz de matar esse livro muito mais rápido e leria diariamente, assim, quando chegasse ao final do livro, ainda me lembraria em detalhes do que lera nas primeiras páginas. E sem dúvida, essa perca de memória, influenciou bastante minha experiência com ele.
Enfim, chega de justificativas e vamos para o que interessa.
Victor Milán, brilhante autor, consegue pegar Game of Thrones, colocar dinossauros e criar uma obra-prima diferente de tudo que já li. É uma história simplesmente magnífica. Logo de cara, no prólogo, entramos na mitologia da história, com um simples pastor de ovelha vendo um Anjo Cinza – uma das misteriosas criaturas enviadas pelos Oito Criadores para manter o mundo na linha. Até aí, o mistério é bem-vindo; um livro que começa assim puxa o seu leitor para continuar a história.


No entanto, o capítulo seguinte foi um movimento extremamente arriscado por parte de Victor. Um que com certeza fez alguns leitores colocar o livro de lado. Nele, somos jogados no meio de uma batalha – entre dois reinos ou um império e rebeldes ou não sei... Ainda estou confuso quanto a essa parte. O problema dessa situação é que somos apresentados a quase todos os personagens centrais da história, mas não entendemos o porquê de eles estarem lutando. Sei que no primeiro capítulo é um pouco difícil saber quem é quem, mas em Os Senhores dos Dinossauros, é extra-difícil.
Se você sobreviver a essa batalha, o livro adquire uma narrativa um tanto lenta em seguida – não espere que eu saia de uma batalha confusa e vá para uma corte real do nada; é como você fazer exercícios na academia e depois fazer o aquecimento – na qual, apenas então, aprendemos quem sem os personagens; quem dorme com quem e assim vai. Mas, a não ser que você entendeu exatamente o que aconteceu no primeiro capítulo, não espere qualquer esclarecimento daqui para frente.
A história passa a seguir uma linha linear lógica, variando os pontos narrativos – o que é uma coisa que eu adoro – e mostrando todos os lados de uma batalha diferente daquela do começo do livro – mesmo ainda não tendo 100% de certeza por que o imperador resolveu atacar uma cidade de pacifistas.
De uma coisa eu tenho certeza, os personagens são extremamente profundos, com características bem resolvidas e personalidades fortes – cada um a sua própria maneira. No fim, a história se desenrola de uma maneira incrível.
Se eu tivesse lido em outra época da minha vida, com certeza teria aproveitado muito mais. Por isso, ele será o primeiro livro que relerei na minha vida – quando eu puder dedicar tempo de verdade nele. E sim, nunca reli um livro (só os que eu escrevi, mas isso não conta haha).

E você? Já leu esse livro? Deixe sua opinião nos comentários!

You Might Also Like

0 comments

Página Um Beijo